Imagem de capa © Lucilina Freitas

“Qual a caixa que escolho? Memórias do comércio tradicional” [fotografia]

Coordenação  | Ana Salgueiro (UMa-CIERL/CECC-UCP)

Convite à publicação aqui

Data limite para receção de propostas para publicação | 31 de outubro de 2022

 Ouverture _ pre.lú.di.o  

ENSAIOS VISUAIS | VISUAL ESSAYS
 
 
 
ENSAIOS | ESSAYS
Insularidade na criação poética: autoexílio e mistério |  Dalila Teles Veras  [13.08.2021]
” […] Sou uma escritora brasileira que nasceu em Portugal. Não posso ser uma escritora portuguesa escrevendo como brasileira. A sintaxe não é a mesma, ainda que as raízes do lugar fundador permaneçam a fustigar a memória que, de forma consciente ou não, recrio em minha outra voz, a da poesia. Ter duas pátrias, como no meu caso, é viver em estado permanente de exílio.
Acredito que, independentemente do deslocamento físico, todo o escritor se recolhe em alguma espécie de ínsula como forma de autoexílio para que possa, observador incansável dos avessos daquilo que anda à sua volta, do que lhe diz a imaginação e o refletir, acontecimentos depois transfigurados na forma de poemas. […]”
 
 
ARTIGOS ARTICLES
O translinguismo na língua falada de um migrante madeirense na África do Sul e na Venezuela: relato de memória e identidade translocal e transcultural |  Naidea Nunes Nunes  (Universidade da Madeira, Centro de Investigação em Estudos Regionais e Locais da Universidade da Madeira, Centro de Linguística da Universidade de Lisboa) [22.08.2022]
Resumo: A partir da entrevista feita a um migrante da Madeira na África do Sul e na Venezuela, faz-se um estudo qualitativo temático e linguístico, baseado na linguística de corpus, no conceito de translinguismo e na linguística sociocultural. A análise temática centra-se na emigração madeirense para a África do Sul que, como fuga ao serviço militar na guerra colonial portuguesa, decorreu sobretudo nos anos 60 do século XX. Os clandestinos viajavam para Moçambique, mais precisamente para a atual cidade de Maputo, sem necessidade de passaporte. Depois, tentavam a sua sorte através da passagem clandestina da fronteira ou “a salto” para a África do Sul, onde o entrevistado foi preso por estar a trabalhar ilegalmente. Regressou à Madeira e foi para a guerra na Guiné-Bissau. Quando terminou o serviço militar, emigrou para a Venezuela, onde esteve mais de 40 anos, tendo regressado à sua terra natal em dezembro de 2016, devido à grave crise social e económica naquele país. A análise linguística da fala do migrante, através do relato de memória, permite observar a sua identidade sociocultural e translocal ou transcultural. O informante bi/multilingue recorre ao translinguismo, mescla do Espanhol da Venezuela com o Português, e a algum léxico do Inglês ao falar da África do Sul, revelando também traços caraterísticos do Português falado na Madeira e do Português popular.
Palavras-chave: Translinguismo; Transculturalismo; Emigração madeirense; África do Sul e Venezuela; Identidade; Linguística Sociocultural.
Abstract: Based on an interview with a migrant from Madeira in South Africa and Venezuela, a qualitative thematic and linguistic study is carried out, based on corpus linguistics, the concept of translingualism and sociocultural linguistics. The thematic analysis focuses on Madeiran emigration to South Africa, which was an escape from military service in the Portuguese colonial war that took place mainly in the 60s of the 20th century. Illegal migrants travelled to Mozambique, more precisely to the current city of Maputo, without the need for a passport. Then they tried their luck by clandestinely crossing the border or “jumping” to South Africa, where the interviewee was arrested for working illegally. He returned to Madeira and went to war in Guinea-Bissau. When he finished his military service, he emigrated to Venezuela, where he spent more than 40 years, having returned to his homeland in December 2016, due to the serious social and economic crisis in that country. The linguistic analysis of the migrant’s speech, through the memory report, allows us to observe their sociocultural and translocal or transcultural identity. The bi/multilingual informant uses translingualism, mixing Venezuelan Spanish with Portuguese, and some English lexicon when speaking of South Africa, also revealing characteristic features of Portuguese spoken in Madeira and popular Portuguese.
Keywords: Translingualism; Transculturalism; Madeiran emigration; South Africa and Venezuela; Identity; Sociocultural Linguistics.
 
OLHARES CRUZADOS | CROSSED VIEWS
 
 
 
DIÁLOGOS|  DIALOGUES
NU_MERO |  António Dantas. Tiago Rodrigues. Carlos Marques. Eduardo Freitas. Hélder Folgado. manuelrodrigues. Paulo Ansiães Monteiro, PAM. Paulo Freitas. Raul Albuquerque   [22.08.2021]
Não se propondo como um projecto editorial e procurando não se esgotar num projeto expositivo colectivo, a identidade NU_MERO, desde 2017 procura, num objecto mutável, oscilar alternadamente entre duas realidades: expositiva e folheável.
 
 SUGESTÕES DE LEITURA |  BOOK REVIEWS
 

Davide Drumond (2022), Não se entra duas vezes no mesmo rio, Funchal/Lisboa: Âncora Editora/CMF, 110pp. ISBN: 978 972 780 812 0 [Prémio Literário da Cidade do Funchal Edmundo Bettencourt]