Imagem de capa © Eduardo de Freitas, S/título, 2013/2020
Óleo s/tela, 60X150cm (políptico)
Exposição: “Imersão – Fora do Tempo”, galeria Marca de Água, 2021

Coordenação  | Ana Salgueiro (UMa-CIERL/CECC-UCP)

Convite à publicação aqui

Data limite para receção de propostas para publicação | 30 novembro de 2021   31 dezembro de 2021

 

 Ouverture _ pre.lú.di.o  

ENSAIOS VISUAIS | VISUAL ESSAYS
A cola que nos une – A arquitetura da criatividade 01 |  Emiliano Dantas   (CRIA – Centro em Rede de Investigação em Antropologia)  [09.01.2022] 
“A imagem surge do encontro das pessoas com os materiais, gerando novas formas. Da nossa capacidade de produzir as formas do mundo, desenvolvemos saberes, acumulados no presente, que se estendem pelo tempo. A cola que nos une é a nossa capacidade criativa de encontrar soluções para as dificuldades do mundo, através dos saberes acumulados. E assim acontece em São Tomé, quando as pessoas dentro das roças/comunidades edificam casas adaptadas às suas necessidades. […]”
 
POR  CHE Elegia a Che Guevara |  António Barros  [30.12.2021]
A imagem revela uma intervenção urbana realizada pelos: La Brigada Guerrilha Andante_ Socialista [LBGA_S], na cidade de Rosário, na Argentina, a 21 de junho de 2020. Na fachada de um stand de automóveis, ponto de venda da PORSCHE, os revolucionários, durante a noite, exaltaram o nome de Che Guevara, amputando “do letreiro” a letra S da marca motor [e desígnio S da LBGA_S], assim elevando, neste jogo de leituras, o silenciado CHE.” 
 
ENSAIOS | ESSAYS
Publicidade para o (des)Confinamento | Filipe Olival (CRIA – Centro em Rede de Investigação em Antropologia e Universidade de Coimbra) [16.01.2022]
Resumo: Este ensaio, escrito nos finais de 2020 para a unidade curricular de Cultura Visual, no âmbito do meu primeiro ano de doutoramento, consiste numa análise do discurso publicitário de diversas marcas como resposta às particularidades da actual pandemia de COVID-19, baseada em imagens retiradas dos meios de divulgação online das respectivas empresas (exceptuando a figura 1, que consiste numa fotografia da minha autoria) e numa pesquisa online extensiva, que vai procurar inspiração nas abordagens semiológicas de Judith Williamson (1978) e Robert Goldman ([1992] 2005). A selecção dos anúncios publicitários aqui abordados teve por critério a sua capacidade de ilustrar contradições internas entre, por um lado, a intenção de emanar uma imagem de marca solidária e comprometida com a resolução de problemas socioambientais e, por outro, as lógicas comerciais que lhes são inerentes.  Palavras-chave: Estratégias Publicitárias, Pandemia de COVID-19, Confinamento, Ética Publicitária, Anti-Anúncios, Marketing Ecológico, Cultura Visual
 
ARTIGOS |  ARTICLES
Le parcours linguistique d’un Habitant dans le voyage contrastif portugais ↔ français  |  Minh Ha Lo-Cicero  (Faculdade de Artes e Humanidades da Universidade da Madeira)  [09.01.2022]
Résumé: En hommage à Ana Margarida Falcão, nous aimerions contribuer par cet article à exploiter quelques phénomènes morphosyntaxiques et lexicosémantique dans l’extrait de A. de l’œuvre O Largo ou o Percurso de um Habitante, dans le cadre du CIERL. Notre étude concerne la description linguistique du milieu citadin dans la région insulaire, l’Île de Madère, et sa capitale, Funchal. En parcourant le livre de contes, nous y avons découvert cet extrait, écrit par la regrettée Falcão, écrivaine de renom de la ville de Funchal. Grâce à Maria Isabel Baião dos Santos, João Paulo Tavares & Thierry dos Santos, qui avaient réalisé la traduction, nous avions eu accès à la lecture sur la fameuse place qui nous est familière.    Mots-clés: A., traduction, portugais/français, linguistique, étude contrastive, Falcão, conte.
Resumo: Em homenagem a Ana Margarida Falcão, com este artigo, procuramos analisar alguns fenómenos  morfossintáticos e lexicossemânticos num excerto de O Largo ou o Percurso de um Habitante. O nosso estudo foca-se na descrição linguística do meio citadino da região insular da Ilha da Madeira, e na sua capital, Funchal. Percorrendo o livro de contos, encontrámos aí este excerto escrito pela saudosa Ana Margarida Falcão, autora de renome na cidade do Funchal. Graças a Maria Isabel Baião dos Santos, João Paulo Tavares e Thierry dos Santos, responsáveis pela tradução, pudemos aceder à leitura do texto sobre o famoso lugar que nos é familiar.    Palavras-chave: A., tradução, português/francês, linguística, estudo contrastivo, Falcão, conto. 
 
Loop e dispositivos do pré-cinema na Arte Contemporânea | Julia Cavalcante (Universidade Federal do Rio de Janeiro) [28.12.2021]
Resumo: Este trabalho tem como objetivo uma análise e articulação sobre os dispositivos do chamado Pré-Cinema, em particular, o zootrópio, e a utilização do loop, em produções artísticas contemporâneas. São aqui analisadas as instalações Transgressões (2017), de Nalini Malani, e Circuladô (2011), de André Parente. Ambos os artistas retomam a técnica da zootropia, assim como as possibilidades e o potencial narrativo do loop em suas obras, relendo-os como recursos para uma linguagem artística contemporânea.  Palavras-chave: Pré-Cinema, loop, zootrópio, Nalini Malani, André Parente
Abstract: This work aims to analyse and articulate the devices of the so-called Pre-Cinema, in particular, the zoetrope, and the use of the loop in contemporary artistic productions. The installations Transgressões (2017), by Nalini Malani and Circuladô (2011), by André Parente. Both artists return to the technique of zootropy, as well as the possibilities and narrative potential of loop in their works, rereading them as resources for a contemporary artistic language.  Keywords: Pré-cinema, Loop, zootrópio, Nalini Malani, André Parente
 
OLHARES CRUZADOS | CROSSED VIEWS _ Imersão – Fora do Tempo … com Eduardo de Freitas
Trabalhos de Eduardo de Freitas integrados na exposição Imersão – Fora do Tempo  (Galeria Marca de Àgua, Funchal, março/maio 2021) | Eduardo de Freitas [21.02.2022]
Imersão – Fora do Tempo foi o título atribuído à exposição de pintura e desenho de Eduardo de Freitas, com curadoria de Filipa Venâncio e patente na Galeria Marca de Água (Funchal), entre março e abril de 2021. Constituiu uma oportunidade para revisitarmos a extensa obra do artista plástico nascido e residente na Madeira, que expõe desde 1976. Aqui reunimos fotografias de alguns dos trabalhos então apresentados e que resultaram do trabalho de criação desenvolvido por Eduardo de Freitas entre 1993 e 2021.
 
Imersão – Fora do Tempo | Filipa Venâncio [21.02.2022]
“Eduardo de Freitas apresentou, nesta exposição individual na Galeria Marca de Água, no Funchal de 25 de março a 21 de maio de 2021, uma parte do seu trabalho de desenho e pintura que não caberia no espaço da galeria, nem que as paredes ficassem todas preenchidas e revestidas com folhas de papel e telas, juntas e sobrepostas. Seriam precisas muitas paredes desdobradas para que pudéssemos visualizar e conhecer o que tem sido a pesquisa incessante de Eduardo de Freitas na pintura e no desenho, balizada nesta mostra, entre 1993 e 2021. Já no catálogo da exposição A Água O Corpo A Casa, em 1993 na Galeria Porta 33, António Aragão refere a persistente insatisfação que trespassa no trabalho de pintura de Eduardo de Freitas. Uma insatisfação que o move e que o transforma num incansável obreiro da pintura.Alguns dos trabalhos apresentados foram recuperados de outras exposições, outros são inéditos recentes (ou não). Muitos nunca estiveram expostos ao público, porque nunca saíram das pastas profusamente cheias de desenhos que podemos encontrar no seu atelier.
E esta exposição propôs isso mesmo. Uma transposição do espaço íntimo do atelier para o espaço da galeria, formulada de modo a possibilitar uma imersão em diferentes fases do seu trabalho. […]” 
 
DIÁLOGOS|  DIALOGUES
Há um Arquipélago de Escritores a ligar-se | Andreia Fernandes [06.02.2022]

Arquipélago de Escritores é um encontro literário que, fundado em 2018, junta autores de diferentes proveniências em solo açoriano, afirmando os Açores como lugar com uma tradição literária grande, com nomes afirmados e outros por reconhecer, um sítio de partilha de escritas, de conversas entre escritores e leitores, de diálogo entre a literatura e outras artes, de criação e disponibilidade para ler, pensar e escrever. Contando com inúmeros convidados, já celebrou autores açorianos como Emanuel Jorge Botelho, J. H. Santos Barros, Mário Machado Fraião, Álamo Oliveira e Vamberto Freitas e acolheu autores americanos como Teju Cole, Nathan Hill e Diana Marcum, assumindo a relação cultural-identitária entre os Açores e os EUA. Um dos seus objetivos é o diálogo com outros arquipélagos que também façam da literatura uma forma de se contarem ao mundo.”

 
NU_MERO |  António Dantas, Eduardo Freitas, Hélder Folgado, Manuelrodriguez, Paulo Ansiães Monteiro, Paulo Freitas, Raul Albuquerque [em paginação]
“O projeto Nu_mero nasceu de um desejo de inventar uma solução para juntar duas coisas normalmente distintas: uma exposição e um objeto folheável, que coubesse numa caixa ou numa capa, facilmente transportável e transmutável.
O resultado tornou este objeto mais do que o somatório das suas partes. Materializou-se num ser híbrido com imensas possibilidades de mutação.
A sua identidade é coletiva, não é separável e existe independentemente do número de artistas e da diversidade de linguagens que possam surgir.
As preocupações de cada um levam a uma preocupação de grupo […]”
 
 SUGESTÕES DE LEITURA |  BOOK REVIEWS
Emanuel Gaspar (2021), A Arquitectura no Arquipélago da Madeira do povoamento à contemporaneidade, Funchal: Câmara Municipal do Funchal,170 pp. ISBN: 978-989-9062-05-4   Javier Hernández Fernández (2021), La comedia sin dios, Madrid: Ediciones El Drago, 83 pp. ISBN: 978-84-18813-09-2 Ana Cristina Pereira (2022), Mulheres da minha ilha, mulheres do meu país. Igualdades que Abril abriu, Lisboa: Bertrand Editora,  pp. 264pp. ISBN: 978-972-25-4281-4
Recensão | Rui Campos Matos (UMa-CIERL e CIAUD-FAUL) [28.12.2021]

Nota de Leitura | Francisco Ramírez Viu [15.02.2022]        .

Recensão | Luísa Antunes Paolinelli (FLCH – UMa) [08.03.2022]